Eduard Henry

Eduard Henry

sábado, 29 de agosto de 2009

OS VASOS SÃO DE BARRO *

Estou escrevendo especialmente para a Dayane (minha ex-aluna do 3o ano do Graciosa)que queria saber um pouco da banda Jars of Clay. Essa banda, na minha opinião, é um dos melhores resultados de músicos do meio gospel dos últimos tempos. Bom, vamos para um pouco de história da banda:


Jars of Clay é uma banda de rock formada no Greenville College, em Greenville, Illinois, Estados Unidos. A banda é reconhecida pela mistura singular de música pop, folk, rock, música eletrônica e música erudita, bem como pela belíssima maneira de transmitir a Fé Cristã, por via de ricas e poéticas letras. Seus membros são Dan Haseltine, Charlie Lowell, Stephen Mason and Matthew Odmark. A banda não possui um baterista e baixista fixos, logo, os lugares têm sido preenchidos por amigos em apresentações ao vivo ou gravações.


O nome da banda é uma referência ao texto bíblico da Segunda Epístola de Paulo aos Coríntios, Capítulo 4, Versículo 7, conforme segue abaixo, em português e inglês, na Nova Versão Internacional:
"Mas temos esse tesouro em vasos de barro, para mostrar que este poder que a tudo excede provém de Deus e não de nós."
"But we have this treasure in jars of clay to show that this all-surpassing power is from God and not from us."
Esse verso é cantado na canção "Four Seven", escondida ao final do primeiro álbum da banda, aproximadamente aos 5m50s da última canção, "Blind".

DISCOGRAFIA:

1995 - Jars of Clay
1997 - Much Afraid
1999 - If I Left the Zoo
2002 - The Eleventh Hour
2003 - Furthermore: From the Studio, From the Stage
2003 - Who We Are Instead
2005 - Redemption Songs
2006 - Good Monsters
2007 - Christmas Songs
2009 - The Long Fall Back To Earth

Clique aqui pra acessar o site oficial da banda.

Flood

Liquid

Drummer Boy



* Acho que o nome da banda já diz tudo... até mesmo de como me sinto. O vaso é de barro, mas o oleiro é poderoso.

Um comentário:

day.aneS2 disse...

Obrigada pela atenção de postar especialmente!
Realmente o som é bom! E pelo que parece, bem interessante, pelo tema, pelo ritmo... e o que mais me chamou atenção, talvez por eu acabar de conhecer, foi o nome que, como você comentou, diz tudo!